Pular para o conteúdo principal

Salto plataforma é pior que o agulha

Meninas,

encontrei essa matéria no G1, e achei muito interessante. Quando o assunto é circulação o salto alto sempre é o grande vilão, mas uma pesquisa da USP, diz o contrário.

Abaixo a explicação da pesquisa.

O salto plataforma pode ser o preferido das mulheres por causa do conforto, mas ele é mais prejudicial à circulação das pernas que o salto agulha. A afirmação é feita pelo cirurgião vascular Wagner Tedeschi Filho, pesquisador da USP que analisou a influência da altura e do tipo de salto na circulação das pernas femininas.

A pesquisa teve duas fases. Em uma delas, o médico avaliou 30 voluntárias saudáveis, com idade entre 20 e 35 anos. Cada uma repetiu o mesmo exame quatro vezes: usando um salto plataforma de 7 cm, um agulha de 7 cm, um de 3,5 cm e descalça. O resultado, conta Tedeschi, mostrou que todos os saltos maiores de 3,5 cm são prejudiciais à circulação, podendo causar varizes, vasinhos, flebites (inflamação da parede de uma veia) e inchaço.

Até aí, o resultado não causa espanto. O que tornou o plataforma vilão das pernas bonitas foi o resultado do exame que media o volume residual venoso. Enquanto o percentual considerado normal desta taxa é 35%, após o uso da plataforma as mulheres tiveram taxa média de 59%. No caso do salto agulha, o percentual foi de 56%. Já o salto mais baixo, de 3,5 cm, apresentou volume residual venoso de 49%.

“O estudo mostrou que o salto alto compromete a contração da panturrilha, que funciona como uma ‘bomba’ na perna. A quantidade de sangue represado na perna aumenta para saltos maiores de 3,5 cm”, diz Tedeschi. Esse "represamento" é o volume residual venoso, responsável pelo surgimento das varizes.

Para entender de que forma o salto compromete a circulação e influencia o percentual do volume residual, é preciso entender a diferença entre o sangue arterial e o venoso.

O arterial, explica Tedeschi, sai do coração “limpo” e vai “abastecer” de oxigênio as extremidades do corpo, no caso, as pernas. O sangue venoso é o inverso: ele sai das extremidades do corpo, é pobre em oxigênio – que já foi distribuído – e segue em direção ao coração. Se no meio do caminho ele encontra as veias contraídas pela panturrilha, observa o médico, vai ocorrer o acúmulo de sangue, sobrecarregando as veias. Daí para frente, surgem as consequências que as mulheres conhecem bem: vasinhos, inchaço, varizes, dor e sensação de peso nas pernas.

Segundo Tedeschi, o salto plataforma é mais prejudicial à circulação justamente por apoiar melhor o pé, o que é responsável pelo conforto. Esse “abraço” nos pés femininos compromete a circulação do sangue venoso, que já enfrenta a força da gravidade no percurso em direção ao coração.

Pesquisa inédita

Segundo o cirurgião vascular Wagner Tedeschi Filho, estudiosos do Brasil já realizaram várias pesquisas sobre o uso de salto alto. O diferencial desta, diz o médico, é o uso da pletismografia a ar completo, tendo como base protocolos internacionais de pesquisa, válidos no mundo inteiro.

“O resultado dá embasamento para orientação de pacientes em consultório, pois muitas se queixam de dor e perguntam sobre o uso de salto alto.”

Pois é, o salto agulha continua sendo o meu preferido... srsrs

Beijos e fiquem com Deus



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Aracelli, Meu Amor - 18 de maio de 1973

Oi pessoal,
estou passando para falar de uma coisa muito séria: o Abuso e a exploração sexual de crianças e Adolescentes. Hoje, dia 18 de maio é o Dia de Combate ao Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, é uma data nacional e foi escolhida 20 anos após o do crime que aconteceu contra Aracelli Cabrera Sanches Crespo (02 de julho 1964 - 18 de maio de 1973).
Aracelli (significa altar celeste), brasileira, nascida em Vitória/ES. Uma menina meiga, alegre, morava em uma casinha no bairro de Fátima, em Serra/ES (na rua que hoje tem o mesmo nome da menina). Era filha de Gabriel Crespo e da boliviana Lola Sanchez. Tinha um cachorro, chamado Radar (colocou esse nome, pois dizia que ele a encontraria em qualquer lugar). Estudava no Colégio São Pedro, e na sexta-feira, dia 18 de maio de 1973, não chegou no horário que normalmente chegava em casa, e com o passar das horas, a preocupação foi aumentando.
O Sr. Gabriel Crespo, pensando em sequestro, foi à delegacia dar queixa do desaparec…

[Utilidade Pública] Percevejos-de-cama

Oi pessoal
hoje vim pra falar de um bichinho horrível e que muita gente não conhece: os percevejos-de-cama.
Nome: Percevejos-de-Cama ou Cimex lectularius
São insetos que se alimentam de sangue humano e são capazes de provocar alergias e infecções. Até o momento, não foram identificadas doenças transmitidas por esse tipo de inseto, mas é melhor não coçar as picadas, senão elas podem infeccionar.
Esses pequenos insetos medem cerca de 5 milímetros e possuem uma coloração vermelha escura, oval e achatado da traseira para a parte inferior, com patas bem desenvolvidas, mas sem asas. Boca adaptada à perfuração e sucção. Vivem de seis a doze meses, e suas fêmeas pode colocar de 3 a 5 ovos por dia. Por isso, quando eles se instalam em algum lugar, tendem a se reproduzir. Seus ovos são brancos e em forma de pêra. Quando jovens, os percevejos são marrom claros. Conforme vão crescendo, eles tornam-se mais escuros.
Os percevejos adultos são de uma cor castanho-vermelha, têm um corpo achatado e oval co…

NÃO INDICO: Praia do Forte Hostel

Oi pessoal,
infelizmente, minha última postagem "[Utilidade Pública] Percevejos-de-cama" não foi um assunto escolhido aleatoriamente. Mas antes de dar o meu depoimento, eu queria ter o cuidado de passar o máximo de informações possíveis pra vocês.
Então, segue meu relato:
Semana passada (de 27/09 a 01/10), realizei uma visita pedagógica Recife/ Aracaju/ Praia do Forte/ Recife com as turmas do primeiro, terceiro e quinto período de Hotelaria da UFPE – Universidade Federal de Pernambuco. A viagem foi ótima, as visitas técnicas foram muito produtivas e aprendemos muito. A viagem poderia ter sido perfeita pra mim se não fosse um episódio percebido no ultimo dia.
Me preparando para voltar a Recife no dia seguinte... fui arrumar minha bagagem (noite de quinta-feira, 30/09) e acabei cochilando na cama. No quarto (fiquei hospedada no quarto “golfinho”), só estávamos eu e outra amiga, os demais estavam numa confraternização do grupo lá fora. Acordei por volta das 0h15min (sexta, dia 1ºo…